"Contemplai a sua Face e serei consolada"

"Contemplai a sua Face e serei consolada"

sábado, 8 de setembro de 2012

São Bruno,

               Te devolver à vida contemplativa a beleza e a integridade dos seus primeiros tempos" (Cons. Apost. Umbratilem vitæ, de Pio XI).


                                                 


Um comentário:

  1. Bruno nasceu em Colonha, na Alemanha em 1030 de um família nobre. Desde muito jovem estudou nas cidades francesas de Reims e Paris e quando voltou a sua pátria, foi ordenado sacerdote no Colegiado de São Cuniberto. Anos mais tarde regressou a Reims como professor de teologia e depois a Paris. A ordem Cartuxana se recorda de uma tradição baseada em um episódio que se passou na cidade de Sena e que comoveu profundamente o nosso santo.

    Bruno estava orando um oficio fúnebre e ouviu o cadáver falar três vezes da tumba e a ultima frase dizia: "Por justo juízo de Deus fui condenado". Estas palavras fizeram com que Bruno abandonasse completamente o mundo e se entregasse totalmente ao Senhor com o desejo que sua alma fosse ascética e contemplativa, buscando uma união com Deus na oração e no silencio. Um dia se reuniu com seus amigos e depois de terem repartido seus bens com os pobres, se retiraram para a Abadia Beneditina de Solesmes. Mas Bruno queria mais austeridade e mais contemplação, e não demorou muito ele e alguns de seus companheiros se retirarem para Cartuxa, um maciço montanhoso situado no meio do deserto na Diocese de Grenoble. Conta São Hugo que o bispo daquela diocese teve na noite anterior um curioso sonho no qual ele viu descer dos céus sete estrelas sobre aquela terra árida. Era a premonição da chegada de Bruno e seus 6 discípulos. Era o ano de 1084 quando nosso santo e seus colegas tomaram posse daquele lugar e levantaram humildes barracos de madeira e uma pequena capela dedicada a Virgem. Ao cabo de alguns minutos e graças a Divina Proteção, saiu da terra um jato d’água que se converteu e uma fonte que daria água aqueles homens solitários.
    Após alguns anos o Papa Urbano II que havia sido professor de Bruno em Reims, o chamou a Roma para que fosse seu colaborador. Bruno teve de deixar o deserto e viajar a Roma, onde o seguiram alguns de seus discípulos. Embora tenha sido nomeado Arcebispo de Reggio, em sua mente estava a vontade de voltar a vida ascética e do silencio. Ao cabo de alguns anos o Sumo Pontífice permitiu que ele voltasse a solidão na Itália, Calábria onde ele fundou o Mosteiro de Santa Maria del Yermo tambem chamada de Odem Cartuxa da Torre. Ali sua Ordem floresceu e em breve teve que erigir outro monastério, o que foi feito com o nome de Monastério de São Stefano em Bosco. Muitos devotos iam ao encontro de Bruno a pedir seus conselhos e ajuda, e muito foram curados apenas pela sua benção. Sua fama logo se estendeu a toda a Itália, França e Alemanha. Ele faleceu em 6 de outubro de 1101 e é o patrono da cidade de Colonha na Alemanha .

    ResponderExcluir